Transforme seu sonho de morar na Europa em realidade

by Redação da 50plusAbroad


Olá, tudo bem? Neste post, eu vou escrever sobre o tema: melhores países para morar na Europa. Se você está pensando em se mudar para o velho continente, já passou dos 50 anos, e ainda não sabe qual destino escolher, este texto é para você!

A Europa é um continente cheio de diversidade, cultura, história e belezas naturais. Mas também é um lugar que oferece qualidade de vida, segurança, oportunidades de trabalho e educação de alto nível. Por isso, muitas pessoas sonham em viver em algum dos países europeus.

Mas quais são os melhores países para morar na Europa? Essa é uma pergunta difícil de responder, pois depende muito dos seus objetivos, preferências e estilo de vida. No entanto, existem alguns critérios que podem te ajudar a fazer uma boa escolha, como:

  • Custo de vida: quanto você vai gastar para morar em um país, considerando despesas como aluguel, alimentação, transporte, saúde, lazer, etc.
  • Qualidade de vida: como é o bem-estar da população em relação a aspectos como saúde, educação, meio ambiente, igualdade social, felicidade, etc.
  • Oportunidades de trabalho: quais são as chances de encontrar um emprego no seu ramo de atuação, mesmo aposentado, qual é o salário médio e quais são os benefícios oferecidos aos trabalhadores.
  • Segurança: qual é o nível de violência e criminalidade no país, como é a proteção aos direitos humanos e às minorias e qual é a estabilidade política e econômica.
  • Receptividade: como é o tratamento dos nativos aos estrangeiros, qual é a facilidade de integração cultural e social e qual é o nível de tolerância e diversidade.
  • Burocracia: quais são os requisitos e os documentos necessários para obter uma autorização de residência no país, qual é o tempo de espera e qual é o custo do processo.

Com base nesses critérios, eu fiz uma lista com os 5 melhores países para morar na Europa, segundo a minha opinião. Vamos conferir?

Os melhores países para morar na Europa

  1. Portugal
    Portugal é um dos destinos preferidos dos brasileiros que querem morar na Europa. E não é à toa: o país tem um clima agradável, uma gastronomia deliciosa, uma rica cultura e uma história fascinante.

    Além disso, Portugal tem um custo de vida relativamente baixo em comparação com outros países europeus, especialmente na capital Lisboa. Portugal também se destaca pela sua segurança, sendo um dos países mais pacíficos do mundo. Outro ponto positivo é a facilidade com o idioma, já que o português é a língua oficial do país.

    Para morar legalmente em Portugal, você pode optar por diferentes tipos de visto, como o visto de trabalho, o visto de estudo, o visto de renda própria ou o visto D7 (para aposentados ou pessoas com rendimentos).
  2. Dinamarca
    A Dinamarca é considerada um dos países mais felizes do mundo em diversos rankings. E não é por acaso: o país tem baixos índices de desigualdade social, diversas oportunidades de emprego, salários altos e um IDH muito elevado.

    A Dinamarca também é escolhida por estrangeiros que querem aprender inglês, já que o idioma é considerado a segunda língua oficial do país. Mesmo com um clima frio, morar na Dinamarca pode ser surpreendente, pois o país tem várias opções de lazer e entretenimento, além de belas paisagens.

    Para morar legalmente na Dinamarca, você precisa de uma permissão de residência (Residence Permit), que é temporária e se vincula ao motivo que te levou ao país. Os motivos mais comuns são: contrato de trabalho, permissão para estudos ou trabalho como au pair.
  3. Suécia
    A Suécia é outro país escandinavo que está entre os melhores para morar na Europa. O país se destaca pela sua qualidade de vida, estabilidade econômica e segurança. A Suécia também é conhecida por ser um país progressista, com altos níveis de igualdade de gênero, diversidade e sustentabilidade.

    A Suécia tem um sistema de educação e saúde públicos de excelência, que garantem o bem-estar da população. Além disso, o país tem uma cultura rica e vibrante, com muita música, arte e design. Para morar legalmente na Suécia, você precisa de uma autorização de residência (Residence Permit), que pode ser obtida por diferentes motivos, como trabalho, estudo, família ou asilo.
  4. Alemanha
    A Alemanha é um dos países mais desenvolvidos e influentes da Europa e do mundo. O país tem uma economia forte e diversificada, com muitas oportunidades de trabalho em vários setores. A Alemanha também tem um alto padrão de vida, com um sistema de saúde e educação públicos de qualidade.

    A Alemanha é um país rico em cultura e história, com muitos museus, monumentos e festivais. Além disso, o país tem uma localização estratégica, que facilita a viagem para outros países europeus. Para morar legalmente na Alemanha, você precisa de um visto, que pode ser de trabalho, estudo, pesquisa, família ou turismo.
  5. França
    A França é um dos países mais charmosos e românticos da Europa. O país tem uma gastronomia renomada, uma moda elegante, uma arte refinada e uma arquitetura deslumbrante. A França também tem uma qualidade de vida elevada, com um sistema de saúde e educação públicos acessíveis e eficientes.

    A França é um país que valoriza a cultura e a diversidade, com muitos eventos e festivais ao longo do ano. Além disso, o país tem uma variedade de paisagens naturais, desde as praias do Mediterrâneo até os Alpes nevados. Para morar legalmente na França, você precisa de um visto, que pode ser de trabalho, estudo, família ou turismo.
Os melhores países para morar na Europa - Dinamarca
Dinamarca, foto de Maria Orlova

Lembre-se: essa é apenas a minha opinião pessoal, baseada em alguns critérios que eu considero importantes. Você pode ter outras preferências e prioridades na hora de escolher o seu destino ideal. Por isso, eu recomendo que você faça a sua própria pesquisa e avalie as vantagens e desvantagens de cada país.

As melhores cidades para morar na Europa

Eu sei que esse assunto é muito subjetivo e depende de vários fatores, como o custo de vida, a qualidade de vida, a cultura, o clima, as oportunidades de trabalho e de lazer, entre outros.

Mas eu fiz uma pesquisa e selecionei algumas cidades que se destacam em diferentes aspectos e que podem ser ótimas opções para quem quer se mudar para o Velho Continente.

Lisboa

A primeira cidade da minha lista é Lisboa, a capital de Portugal. Lisboa é uma cidade encantadora, com uma arquitetura histórica e moderna, uma gastronomia deliciosa e uma vida noturna animada.

Lisboa também é uma das cidades mais baratas da Europa Ocidental, com um custo de vida acessível e um salário mínimo de 665 euros por mês. Além disso, Lisboa tem um clima ameno durante todo o ano, com temperaturas médias de 17°C no inverno e 28°C no verão.

As melhores cidades para morar na Europa - Lisboa
Lisboa, foto de Nextvoyage

Lisboa é ideal para quem gosta de história, cultura e natureza, pois tem vários museus, monumentos, parques e praias para explorar.

Berlim

A segunda cidade da minha lista é Berlim, a capital da Alemanha. Berlim é uma cidade cosmopolita, criativa e dinâmica, que atrai pessoas de todo o mundo pela sua diversidade cultural, artística e social.

Berlim também é uma cidade com uma economia forte e inovadora, que oferece muitas oportunidades de trabalho em diferentes áreas, especialmente na tecnologia, na mídia e na indústria criativa. O custo de vida em Berlim é relativamente baixo para os padrões europeus, com um salário mínimo de 1.614 euros por mês.

As melhores cidades para morar na Europa - Berlim
Berlim, foto de Shvets Anna

O clima em Berlim é mais frio do que em Lisboa, com temperaturas médias de 3°C no inverno e 23°C no verão. Berlim é ideal para quem gosta de arte, música e festa, pois tem uma cena cultural vibrante e uma variedade de eventos e festivais durante todo o ano.

Copenhague

A terceira cidade da minha lista é Copenhague, a capital da Dinamarca. Copenhague é uma cidade charmosa, elegante e sustentável, que se destaca pela sua qualidade de vida elevada e pelo seu bem-estar social.

Copenhague também é uma cidade com um alto nível de educação e saúde pública, que valoriza a igualdade e a democracia. O custo de vida em Copenhague é alto, mas compensado por um salário mínimo de 2.331 euros por mês.

As melhores cidades para morar na Europa - Copenhague
Copenhague, foto de Daniel Jurin

O clima em Copenhague é mais frio do que em Berlim, com temperaturas médias de 2°C no inverno e 20°C no verão. Copenhague é ideal para quem gosta de design, arquitetura e bicicleta, pois tem um estilo urbano sofisticado e uma infraestrutura ciclável excelente.

Essas são as minhas três sugestões de melhores cidades para morar na Europa. É claro que existem muitas outras cidades maravilhosas no continente europeu, mas eu quis escolher algumas que representam diferentes regiões, culturas e estilos de vida.

As desvantagens de morar na Europa

Pode até parecer um tema polêmico para alguns: as desvantagens de morar na Europa. Antes de mais nada, quero deixar claro que eu não tenho nada contra a Europa ou os europeus, e que essa é apenas a minha opinião pessoal baseada na minha experiência de vida.

Eu sei que muita gente sonha em morar na Europa, seja pela qualidade de vida, pela cultura, pela história ou pelas oportunidades. Mas nem tudo são flores nesse continente, e eu vou listar algumas das dificuldades que eu enfrentei e que podem ser comuns para outros imigrantes ou viajantes.

  • O custo de vida: A Europa é um dos lugares mais caros do mundo para se viver, especialmente se você quiser morar em uma capital ou em uma cidade grande. O aluguel, a alimentação, o transporte, a saúde, a educação e o lazer podem pesar muito no seu bolso, dependendo do país e da região que você escolher. Além disso, os impostos são altos e nem sempre você vê o retorno em serviços públicos de qualidade. Você pode ter que fazer muitas economias e sacrifícios para conseguir manter um padrão de vida razoável.
  • O clima: A Europa tem um clima muito variado, mas geralmente é frio e chuvoso na maior parte do ano. Se você gosta de sol, calor e praia, pode se decepcionar com o tempo nublado, cinzento e úmido que predomina em muitos países. O inverno pode ser longo e rigoroso, com neve, gelo e temperaturas negativas. Você pode ter que investir em roupas adequadas, aquecedores e vitaminas para não ficar doente ou deprimido.
  • A cultura: A Europa é um continente rico em cultura e diversidade, mas isso também pode ser um desafio para quem vem de fora. Você pode ter dificuldades para se adaptar à língua, aos costumes, às leis, à religião e aos valores dos europeus. Você pode se sentir excluído, discriminado ou incompreendido por causa da sua origem, da sua cor, do seu sotaque ou da sua religião. Você pode ter que lidar com preconceitos, estereótipos e xenofobia. Você pode ter que mudar alguns hábitos ou comportamentos para não ofender ou desrespeitar os locais.
  • A saudade: A Europa é um continente distante de muitos outros lugares do mundo, especialmente da América do Sul e da África. Você pode sentir falta da sua família, dos seus amigos, da sua comida, da sua música, do seu clima e da sua cultura. Você pode ter dificuldades para manter contato ou visitar os seus entes queridos com frequência. Você pode se sentir sozinho, isolado ou deslocado em um lugar onde você não tem raízes ou referências.

Eu também reconheço as vantagens e as oportunidades que a Europa oferece, e que muitas pessoas são felizes e realizadas lá. Mas eu acho importante mostrar os dois lados da moeda, e não idealizar ou romantizar a vida na Europa.

Cada lugar tem seus prós e contras, e cabe a cada um pesar os benefícios e os custos de morar em um país diferente do seu.

Vantagens de morar na Europa sendo aposentado

A Europa é um destino muito desejado por quem busca qualidade de vida, segurança, cultura e diversidade. Além disso, muitos países europeus oferecem facilidades e benefícios para aposentados estrangeiros, como isenção de impostos, acesso à saúde pública e possibilidade de viajar pelo continente com facilidade.

Mas quais são os melhores países para se aposentar na Europa? Segundo um estudo da consultora International Living, Portugal é o primeiro país europeu a aparecer no ranking de melhores países para aposentados em 2021.

O país luso tem um custo de vida baixo, um bom serviço de transporte público, uma hospitalidade incrível e uma lei de incentivo para receber aposentados do mundo todo.

Outros países que se destacam são França, Espanha, Itália e Grécia, que também têm um clima agradável, uma gastronomia deliciosa, uma rica história e arte e uma boa infraestrutura para receber os aposentados.

Vantagens de morar na Europa sendo aposentado - Grécia
Grécia, foto de Demetra Ioannidou

Para morar na Europa sendo aposentado, é preciso solicitar um visto específico para cada país, que geralmente exige a comprovação de renda suficiente para viver sem depender do sistema social local. Além disso, é preciso planejar bem a mudança, escolher a cidade ideal para o seu perfil e estilo de vida e se adaptar à cultura e ao idioma do país escolhido.

Morar na Europa sendo aposentado pode ser uma experiência incrível e enriquecedora, mas também requer muita pesquisa e preparação. Se você tem esse sonho, não deixe de se informar sobre as vantagens e desvantagens de cada país e sobre os requisitos necessários para se mudar legalmente.

Quanto custa morar na Europa?

Primeiro, vamos falar dos gastos fixos, ou seja, aqueles que você tem todo mês e que são essenciais para viver. Os principais são: aluguel, contas de água, luz, gás, internet, telefone, transporte e alimentação.

O aluguel é provavelmente o maior gasto que você vai ter, e ele varia muito de acordo com a localização, o tamanho e a qualidade do imóvel. Em média, um apartamento de um quarto em uma cidade grande pode custar entre 500 e 1000 euros por mês.

Quanto custa morar na Europa?
Quanto custa morar na Europa? 100 Euros, foto de Markus Spiske

Em cidades menores ou mais afastadas do centro, você pode encontrar opções mais baratas. Uma alternativa para economizar é dividir o apartamento com outras pessoas, mas isso também pode trazer alguns inconvenientes.

As contas de água, luz, gás e internet também dependem do seu consumo e do seu plano contratado. Em geral, elas somam entre 100 e 200 euros por mês. O telefone pode ser mais barato se você usar um plano pré-pago ou um aplicativo como o WhatsApp para fazer ligações.

O transporte público na Europa é bastante eficiente e acessível, mas o preço varia de acordo com a cidade e o tipo de bilhete. Um passe mensal pode custar entre 30 e 80 euros por mês. Se você preferir usar carro ou bicicleta, terá que considerar os custos de combustível, manutenção, seguro e estacionamento.

A alimentação é outro gasto importante, mas que também depende muito dos seus hábitos e preferências. Se você cozinhar em casa e comprar produtos locais e da estação, pode gastar entre 150 e 300 euros por mês.

Se você comer fora com frequência ou comprar produtos importados ou orgânicos, pode gastar bem mais. Uma refeição em um restaurante simples pode custar entre 10 e 20 euros por pessoa. Um café da manhã ou um lanche pode custar entre 3 e 5 euros.

Além dos gastos fixos, você também deve considerar os gastos variáveis ou extras, que são aqueles que não são essenciais para viver, mas que fazem parte do seu lazer e do seu bem-estar. Por exemplo: roupas, calçados, cosméticos, livros, cinema, teatro, shows, viagens, cursos, academia, etc.

Esses gastos dependem totalmente do seu estilo de vida e do seu orçamento. Você pode gastar muito ou pouco nesses itens, mas é bom ter uma reserva para imprevistos ou emergências.

Resumindo: quanto custa morar na Europa? A resposta é: depende! Mas uma estimativa razoável é que você precisa de pelo menos 1000 euros por mês para viver com conforto e segurança em uma cidade média.

Claro que esse valor pode variar para mais ou para menos dependendo das suas escolhas e das suas necessidades. O importante é planejar bem os seus gastos e buscar formas de economizar sem abrir mão da qualidade de vida.

Cidades baratas para morar na Europa

Muitas pessoas sonham em viver no velho continente, mas se assustam com o custo de vida de algumas capitais como Londres, Paris ou Berlim.

Mas será que é possível encontrar lugares mais acessíveis e ainda assim aproveitar as belezas e a cultura europeia? A resposta é sim! Neste post, eu vou listar algumas cidades que são ótimas opções para quem quer economizar e ter qualidade de vida na Europa. Vamos lá?

Lisboa, Portugal: A capital portuguesa é uma das mais charmosas e vibrantes da Europa, com uma arquitetura histórica, uma gastronomia deliciosa e uma vida noturna animada. Além disso, Lisboa é uma das cidades mais baratas da Europa Ocidental, com um custo de vida médio de 1.200 euros por mês para um casal.

Cidades baratas para morar na Europa - Lisboa
Lisboa, foto de Lennart Wittstock

Você pode alugar um apartamento de um quarto por cerca de 600 euros, comer fora por 10 euros e usar o transporte público por 40 euros mensais. Lisboa também é uma ótima porta de entrada para conhecer outras cidades e países europeus, já que tem um aeroporto internacional com voos baratos para vários destinos.

Praga, República Tcheca: Praga é uma das cidades mais bonitas e visitadas da Europa, com um centro histórico que parece um conto de fadas, cheio de pontes, castelos e igrejas. Mas Praga não é só beleza, é também uma cidade moderna e cosmopolita, com uma cena cultural e artística efervescente.

Cidades baratas para morar na Europa - Praga
Praga, foto de Daniel Frank

O custo de vida em Praga é bem mais baixo do que em outras capitais europeias, com uma média de 1.000 euros por mês para um casal. Você pode alugar um apartamento de um quarto por cerca de 500 euros, comer fora por 8 euros e usar o transporte público por 25 euros mensais. Praga também tem uma boa localização geográfica, perto de países como Alemanha, Áustria e Polônia.

Valência, Espanha: Valência é a terceira maior cidade da Espanha e uma das mais agradáveis para se viver na Europa. Valência tem um clima mediterrâneo, com sol e calor durante quase todo o ano, e um litoral com belas praias e paisagens naturais. Valência também tem uma cultura rica e diversa, com festivais tradicionais como as Fallas, uma gastronomia famosa pelo paella e pela horchata e uma arquitetura que mistura o antigo e o novo.

Cidades baratas para morar na Europa - Valência
Valência, foto de Jo Kassis

O custo de vida em Valência é bem acessível, com uma média de 1.100 euros por mês para um casal. Você pode alugar um apartamento de um quarto por cerca de 500 euros, comer fora por 12 euros e usar o transporte público por 45 euros mensais. Valência também está bem conectada com outras cidades espanholas como Madrid e Barcelona, além de ter um aeroporto internacional com voos baratos para vários países.

Paises fáceis de morar na Europa

A Europa é um continente cheio de diversidade, cultura, história e oportunidades. Mas nem todos os países são iguais quando se trata de imigração. Alguns têm mais facilidades, outros mais exigências, e alguns até oferecem incentivos para atrair estrangeiros qualificados.

Mas o que faz um país ser fácil de morar? Isso depende de vários fatores, como o idioma, o clima, o custo de vida, a segurança, a qualidade de vida, a oferta de emprego, a burocracia e os tipos de visto disponíveis.

Eu vou listar alguns países que se destacam por serem mais receptivos e acessíveis para brasileiros que querem morar na Europa. Vamos lá!

1 – Portugal

Portugal é o destino preferido de muitos brasileiros que querem morar na Europa. E não é para menos: o país tem uma língua em comum, uma cultura familiar, um clima agradável, uma gastronomia deliciosa e uma localização estratégica.

Paises fáceis de morar na Europa - Portugal
Marvão, Portalegre, Portugal. Foto de Carlos Machado

Além disso, Portugal tem acordos com o Brasil que facilitam a obtenção da cidadania portuguesa para descendentes, cônjuges e companheiros de portugueses. Também é possível solicitar um visto de estudo, trabalho, empreendedor, startup ou aposentado.

Portugal é um país seguro, tranquilo e com boa qualidade de vida. O custo de vida é mais baixo do que em outros países europeus, mas ainda assim superior ao do Brasil. O salário mínimo é de 665 euros por mês.

2 – Luxemburgo

Luxemburgo é um pequeno país com pouco mais de meio milhão de habitantes, mas com uma grande diversidade e riqueza. O país tem três idiomas oficiais: francês, alemão e luxemburguês. Mas muitas pessoas também falam inglês e português.

Paises fáceis de morar na Europa - Luxemburgo
Luxemburgo, foto de Alina Rossoshanska

Luxemburgo tem uma das maiores rendas per capita do mundo e um dos maiores salários mínimos da Europa: 2.202 euros por mês. O país tem uma economia forte e dinâmica, baseada em serviços financeiros, tecnologia e indústria.

Luxemburgo é um dos países mais fáceis de imigrar na Europa porque oferece várias possibilidades de visto para brasileiros. É possível solicitar um visto de trabalho qualificado, de trabalhador sazonal, de estudante, de pesquisador, de voluntário ou de reagrupamento familiar.

Luxemburgo é um país seguro, limpo e organizado. O custo de vida é alto, mas compensa pela qualidade dos serviços públicos e pela localização privilegiada no coração da Europa.

3 – Irlanda

A Irlanda é um país que encanta pela sua beleza natural, pela sua história milenar, pela sua música animada e pelo seu povo acolhedor. O país tem o inglês como idioma oficial, mas também preserva o irlandês como língua nativa.

Paises fáceis de morar na Europa - Irlanda
Dublin, Irlanda. Foto de Lukas Kloeppel

A Irlanda tem uma economia moderna e diversificada, com destaque para os setores de tecnologia, farmacêutico, turismo e agronegócio. O salário mínimo é de 1.724 euros por mês.

A Irlanda é um dos países mais fáceis de imigrar na Europa porque permite que brasileiros estudem inglês por até 8 meses e trabalhem por até 20 horas semanais com o visto de estudante. Também é possível solicitar um visto de trabalho especializado, de estágio ou de intercâmbio.

A Irlanda é um país seguro, divertido e com boa qualidade de vida. O custo de vida é moderado, mas pode variar bastante dependendo da região. O clima é frio e chuvoso na maior parte do ano.

4 – Alemanha

A Alemanha é um país que impressiona pela sua eficiência, pela sua inovação, pela sua cultura e pela sua diversidade. O país tem o alemão como idioma oficial, mas muitas pessoas também falam inglês e outras línguas.

Paises fáceis de morar na Europa - Alemanha
Hildesheim, Alemanha. Foto de Kai Pilger

A Alemanha tem uma das maiores e mais desenvolvidas economias do mundo, com destaque para os setores de indústria, tecnologia, energia e comércio. O salário mínimo é de 1.614 euros por mês.

A Alemanha é um dos países mais fáceis de imigrar na Europa porque oferece várias oportunidades de visto para brasileiros. É possível solicitar um visto de trabalho qualificado, de freelancer, de estudante, de pesquisador, de artista ou de reagrupamento familiar.

A Alemanha é um país seguro, limpo e organizado. O custo de vida é alto, mas compensa pela qualidade dos serviços públicos e pela localização central na Europa. O clima é frio e variável na maior parte do ano.

Conclusão

Morar na Europa é um sonho para muitas pessoas, mas também um desafio. Há vantagens e desvantagens de se mudar para outro continente, como a cultura, o clima, o idioma e o custo de vida.

Por isso, é importante pesquisar bem antes de tomar essa decisão e se preparar para as adaptações necessárias. No final, morar na Europa pode ser uma experiência enriquecedora e transformadora, se você souber aproveitar as oportunidades e superar as dificuldades.

Nós te ajudamos em todas as etapas até sua emigração

Temos soluções completas para aposentados e donos de renda passiva que desejam morar no exterior. Podemos te ajudar com nossas ferramentas e serviços.

>